Requisitos de segurança de API do Gartner: como a plataforma Noname está alinhada

Recentemente, o Gartner publicou um estudo chamado “Tudo o que você deve fazer para abordar a segurança de API”, compilando todas as pesquisas recentes feitas sobre o assunto. O estudo, ainda, mapeia domínios que precisam ser considerados se uma equipe de segurança realmente leva a sério uma postura de segurança de API.

Em um mundo em que a quantidade de APIs cresce assustadoramente, a segurança de APIs não deve ser colocada em segundo plano. Com mais e mais projetos centrados em dados, o ecossistema da maioria das empresas se abriu para o uso de APIs, que se tornaram uma porta para as informações mais bem guardadas de qualquer organização, afinal, a API é o elo que permite que dois aplicativos diferentes se comuniquem.

Se isso traz inúmeros benefícios, principalmente para desenvolvedores, ao mesmo tempo cria um desafio para que essa porta seja mantida aberta para usuários e aplicativos, mas totalmente fechada para hackers. E o estudo do Gartner ajuda a entender esse processo.

Requisitos de segurança de API

Como a plataforma Noname Security está alinhada a esses domínios de segurança de API? Basicamente, a estrutura relatada pelo Gartner é um mapeamento quase perfeito da plataforma Noname. Mas quais são esses domínios, o que eles significam e como a plataforma Noname Security fornece uma solução para cada um deles?

Domínio 1 – Descoberta

De acordo com o estudo, “este é um bom primeiro passo para qualquer iniciativa de segurança de API”. O Gartner afirma que 50% das APIs corporativas se tornarão “não gerenciadas” até 2025, o que, pelo menos, irá limitar a visibilidade sobre cada uma delas. Isso faz com que o processo de descoberta de APIs se torne fundamental para garantir a segurança. Esse processo localiza todas as APIs de uma organização, incluindo legadas, inativas e ocultas, de forma a permitir que as empresas consigam inventariar com segurança suas APIs.

A plataforma Noname Security fornece visibilidade granular para descobrir e corrigir APIs, incluindo validação de APIs não gerenciadas. Essa descoberta inclui identificar quantas APIs a organização possui, não importando o tipo (HTTO, RESTful, GraphQL, SOAP, XMP-RPC, JSON-RPC e gRPC), além de localizar domínios e subdomínios ocultos desconhecidos, não gerenciados ou esquecidos. Algo fundamental considerando que o próprio Gartner considera que “APIs não gerenciadas e não seguras são alvos fáceis para ataques, aumentando a vulnerabilidade a incidentes de segurança e privacidade”.

Domínio 2 – Gerenciamento de postura

Para o Gartner, com as APIs inventariadas, o segundo passo é “realizar uma avaliação da segurança dessas APIs”, identificando configurações incorretas. Mas o gerenciamento de postura vai além dessas configurações e permite encontrar vulnerabilidades e violações de conformidade.

A plataforma Noname analisa um conjunto amplo de fontes para detectar vulnerabilidades, inclusive logs, histórico de tráfego e arquivos de configuração. Além de detectar, pelo módulo Posture Management, algumas vulnerabilidades no OWASP API Security Top e fornecer insights sobre quais os dados que trafegam pelas APIs com o objetivo de oferecer um controle mais eficiente sobre as informações de identificação pessoal e atender a normas de conformidade e privacidade.

Domínio 3 – Teste

O Gartner afirma que “as ferramentas AST tradicionais – SAST DAST e AST interativo (IAST) – não foram originalmente projetadas para testar vulnerabilidades associadas a ataques típicos contra APIs”, o que exige que “para identificar a abordagem ideal para o teste de API, eles procurem uma mistura de ferramentas tradicionais (como AST (SAST) estático e (DAST) dinâmico) e soluções emergentes focadas especificamente nos requisitos de APIs”, o que, nesse caso, significa testes de segurança de APIs criados especificamente para esse fim.

A Noname Security, para superar esse desafio levantado pelo Gartner, fornece mais de 150 testes de segurança de API que o SecOps pode executar sob demanda ou como parte de um pipeline de CI/CD, garantindo que as APIs não carreguem vulnerabilidades de segurança que serão descobertas apenas após sua implementação. A abordagem oferecida pela Noname não deixa nenhuma API sem teste, permitindo que os desenvolvedores liberem o código mais seguro em escala, incorporem segurança de API ao design e façam correções no início do processo de desenvolvimento.

Domínio 4 – Proteção em tempo de execução

Esse é o processo de segurança de APIs enquanto elas operam e gerenciam solicitações com o objetivo de detectar e evitar chamadas maliciosas. Para isso, é necessário ter a capacidade de proteger os dados por meio do contexto. O Gartner alerta que as empresas devem “adicionar a detecção de anomalias comportamentais usando produtos de segurança de API”.

A plataforma Noname executa análises de tráfego em tempo real e fornece informações contextuais sobre falhas de segurança. Por meio de uma detecção automatizada de anomalias baseada em IA e aprendizado de máquina, a plataforma identifica vazamento ou adulteração de dados, violação de políticas de segurança, comportamento suspeito e ataques de segurança de API, inclusive vulnerabilidades no OWASP API Security Top 10 que não foram detectadas pelo módulo Posture Management. Além disso, a ferramenta Runtime Protecton se integra aos sistemas ITSM, SIEM e SOAR para atribuir problemas automaticamente para as equipes corretas.

Domínio 5 – Controle de acesso

Para o Gartner “o controle de acesso é melhor abordado na etapa de design. Ele considera questões de autenticação e como autorizar o acesso ao usuário. Algumas configurações incorretas e vulnerabilidades podem ser corrigidas após o teste da API, mas podem exigir mudanças estruturais que levam a modificações na infraestrutura e na própria API”.

A plataforma Noname, na fase de design e desenvolvimento, por meio da solução Active Testing, já ajuda as empresas a lidarem com possíveis vulnerabilidades de autenticação e autorização antes que a API seja enviada para produção. E depois que elas são implantadas, o módulo Posture Management descobre se alguma vulnerabilidade relacionada ao acesso do usuário está ativa. Já o módulo Runtime Protection remedia qualquer exploração vinda de acesso comprometido, fechando totalmente o ciclo.

Segurança de API é com a plataforma Noname Security

É possível perceber que a plataforma de segurança de API da Noname atua em todas as frentes levantadas pelo Gartner para garantir a proteção de APIs. E para conhecer mais a fundo a plataforma, entre em contato com os especialistas da Evolutia e solicite uma demonstração.

A transformação começa agora.

Política de Privacidade

Onde estamos

Rua Pais Leme, 215, sala 418, Pinheiros – São Paulo
CEP: 05424-150

© Evolutia – Todos os direitos reservados.

Desenvolvido pela Intelligenzia