Como escolher o provedor de serviços gerenciados em segurança correto para sua empresa

Em uma época que contar com profissionais de TI experientes está cada vez mais caro, recorrer a um provedor de serviços gerenciados (MSP) é a saída mais eficiente para lidar com as necessidades da área de TI. Além disso, com as diferentes opções de serviços gerenciados, todos os provedores trazem a promessa de atender completamente às necessidades da empresa, mas será que isso resolve problemas específicos de uma organização ou agem apenas de forma genérica?

Nesse momento, é preciso analisar os diferentes serviços oferecidos por cada provedor de serviços gerenciados e o que esses recursos oferecem. Ou seja, se eles realmente atendem a requisitos específicos da área de TI do contratante, um fator fundamental quando se trata de segurança cibernética.

E é essa escolha que pode ajudar a sua equipe de TI a reduzir a carga de trabalho, ter acesso rápido a novas tecnologias e habilidades sem se preocupar em investir em novos talentos e infraestrutura ou pensar em uma estratégia cara de retenção, além, é claro, de permitir que a equipe de TI possa se concentrar a tarefas mais críticas para os negócios, como dimensionar a operação para suportar o crescimento da empresa.

Desafios para a segurança cibernética

Combinar pessoas, processos e tecnologias é fundamental para que o investimento feito em tecnologia de segurança realmente gere o valor desejado. Comprar a tecnologia sem entender se ela atende às necessidades da empresa ou que seja muito complexa para ser gerenciada e operada, pode simplesmente levar a mais trabalho para a equipe de TI, o que também pode aumentar os riscos cibernéticos, afinal, uma equipe sobrecarregada tem maior probabilidade de deixar alguma vulnerabilidade passar despercebida.

A equipe da SentinelOne pontua um caso de uso emblemático: a adoção de soluções EDR para resolver falhas do AV legado. Ao presumir que bastava implementar a ferramenta no modo “definir e esquecer” muitas organizações, mesmo contando com monitoramento 24 horas por dia, não utilizam a ferramenta em seu potencial máximo, que é atuar de maneira proativa na detecção de ameaças.

Além disso, gerenciar algumas plataformas de segurança se tornou um desafio para muitas equipes de TI devido à escassez de profissionais, seja internamente para manter uma equipe monitorando os sistemas 24 horas por dia, todos os dias da semana, ou pela dificuldade de buscar esse profissional especializado no mercado.

Porque a empresa precisa de um provedor de serviços gerenciados em segurança cibernética

Antes de entender por que a empresa precisa de serviços gerenciados, é interessante entender o que são esses serviços. Um provedor de serviços gerenciados é aquele que fornece serviços de TI por meio de uma assinatura. Assim, a empresa contratante conta com o gerenciamento ativo e suporte remoto ou no local para lidar com sua infraestrutura de TI. E esse é um mercado em franco crescimento, a Grande Review Research prevê um crescimento anual de 13,4% até 2030.

Normalmente, quando uma empresa opta por terceirizar a segurança cibernética com provedores de segurança gerenciados (MSSPs), os provedores oferecem apenas um serviço de gerenciamento de ferramentas de segurança, mas não de operações de segurança. E é essencial entender essa diferença antes de contratar um provedor.

O gerenciamento de ferramentas de segurança foca na manutenção e administração dos produtos de segurança, como alterações na política de segurança, aplicações da política, configurações de acesso, provisionamento de ferramentas e, em alguns casos, no dimensionamento de armazenamento, atualizações de aplicativos etc.

Já as operações de segurança envolvem o uso das ferramentas para alcançar os objetivos de segurança propostos no momento em que a ferramenta foi implantada. Usando o exemplo do EDR, ele é implantado para detectar e evitar ataques a endpoints, respondendo rapidamente quando esse ataque for descoberto. Isso exige que a operação de segurança conte com monitoramento para identificação de incidentes e consiga conter, investigar e responder.

Com isso é possível entender que o foco das empresas quando implementam uma tecnologia de segurança não é apenas gerenciá-la, mas extrair o máximo de benefícios possíveis, tornando o investimento nas operações de segurança fundamentais para escolher o provedor de serviços gerenciados ideal.

Entretanto, ao adicionar pessoas, processos e tecnologia nessa equação, as empresas não entender se precisam de uma ferramenta de Detecção e Resposta Gerenciada (MDR), Serviço Gerenciado de Caça a Ameaças (MTH) ou um provedor de serviços gerenciados de segurança (MSSP).

Detecção e resposta gerenciada (MDR)

O MDR faz um monitoramento proativo da rede 24 horas por dia, sete dias por semana para detectar, investigar e responder a ataques cibernéticos.

Serviço gerenciado de caça a ameaças (MTH)

O MTH também age de maneira proativa, mas vai além do MDR. Por meio de TTPs, IA e ataques hipotéticos com base nas informações coletadas pelas ferramentas de segurança, o MTH identifica ataques ativos e que, normalmente, comprometem a detecção por outras ferramentas.

Provedor de serviços gerenciados de segurança (MSSP)

O provedor de serviços gerenciados de segurança foca na manutenção das tecnologias de segurança implementadas, como firewalls, gateways de email e web, EDR, SIEM etc., e realizam uma triagem inicial para gerar alertas sobre um possível ataque. Por outro lado, não agem ou consolidam os vários alertas sobre um mesmo incidente. Ou seja, o MSSP se concentra no gerenciamento das ferramentas de segurança.

Exatamente por esses serviços terem focos diferentes, é fundamental entender o contexto e necessidades da empresa para escolher o serviço.

Quais fatores analisar?

Além de entender qual ferramenta escolher, alguns outros fatores precisam ser analisados antes de escolher o provedor de serviços gerenciados de segurança.

Habilidades e experiência

O MSSP deve contar com certificações de segurança e profissionais com as habilidades necessárias para combater desde ransomware até ataques de dia zero.

Detecção proativa e resposta automática

É necessário que o MSSP vá além do simples monitoramento e ofereça uma abordagem proativa para lidar com ameaças cibernéticas avançadas e sofisticadas.

Suporte à integração

É importante entender se o MSSP oferece suporte à integração da tecnologia de segurança já existente ou se será necessário implementar uma nova tecnologia. Normalmente, provedores de serviços gerenciados baseados na nuvem fazem essa integração.

Resposta e comunicação

Canais abertos de comunicação são essenciais para tornar o relacionamento entre o contratante e o provedor mais transparente e eficiente. Por isso é essencial entender qual o tempo de resposta, se o provedor oferece respostas acionáveis e contextualmente relevantes e entender se o SLA atende às necessidades da empresa.

Normas regulatórias

Um provedor de serviços gerenciados de segurança precisa estar preparado para atender e se manter atualizado em relação às mais diversas normas de conformidade e leis de privacidade e segurança.

Personalização dos serviços

Como cada empresa tem necessidades diferentes, não existe uma solução padrão que atenda a todos da mesma forma. Por isso, é importante buscar por um provedor que ofereça soluções personalizáveis e não tente “empurrar” tecnologias que a empresa não irá usar.

A Evolutia oferece soluções de Detecção e Resposta Gerenciada (MDR), Serviço gerenciado de caça a ameaças (MTH) e Avaliação de Compromisso e Serviços de Resposta a Incidenes da SentinelOne, a plataforma mais completa para descoberta, prevenção e remediação de ataques cibernéticos. Entre em contato e saiba mais.

A transformação começa agora.

Política de Privacidade

Onde estamos

Rua Pais Leme, 215, sala 418, Pinheiros – São Paulo
CEP: 05424-150

© Evolutia – Todos os direitos reservados.

Desenvolvido pela Intelligenzia