Entenda o ataque DDoS e como evitá-lo

Os ataques distribuídos de negação de serviço, ou ataque DDoS, ocorrem quando hackers tentam interromper o acesso a um site ou aplicativo sobrecarregando sua infraestrutura com milhares de acessos simultâneos, o que causa lentidão extrema e, em muitos casos, impedem que usuários acessem um serviço.

O Brasil é líder na América Latina em ataques DDoS, com 39,2% dos incidentes na região, com mais de 727 mil ocorrências no segundo semestre de 2022. Em média, esses ataques tiveram uma duração média de 16 minutos e movimentaram mais de 288 GB por segundo. Empresas de telecomunicações foram as mais impactadas.

Como funcionam um ataque DDoS

Ataques DDoS usam uma rede de computadores infectada, também chamada de botnet, para impactar sistemas. Tais ataques são chamados de negação de serviço exatamente por travar um servidor de destino, interrompendo sua capacidade de processar solicitações de acesso legitimas.

A rede é criada por meio de malware que infecta diferentes dispositivos quando os usuários acessam um site malicioso ou baixam um anexo ou software contaminado. O resultado é a criação de uma rede de computadores “zumbis” comandada por hackers para agir de acordo com instruções enviadas, acionando os dispositivos para atingir um sistema específico com um número gigantesco de solicitações de acesso, travando o sistema e configurando o ataque DDoS.

Mas esses ataques estão evoluindo, em maio de 2023, 13 domínios foram apreendidos pelo governo dos Estados Unidos por estarem vinculados a “booters”, que são sites que vendem ataques DDoS como um serviço. Esses sites fornecem os recursos para que criminosos lancem ataques DDoS contra qualquer vítima.

Basicamente, tais ataques visam interromper a capacidade de uma empresa atender seus usuários e são normalmente voltados para sabotar concorrentes, prejudicar serviços básicos ou mostrar descontentamento com alguma decisão empresarial, ou até mesmo como para realizar uma declaração política.

Tipos de ataque DDoS

O ataque DDoS pode ocorrer de diversas formas, mas são três as principais: ataques baseados em volume, ataques de protocolo ou à camada da rede e ataques na camada de aplicativo.

Ataques baseados em volume

O ataque DDoS baseado em volume impacta o sistema ao consumir a largura de banda disponível devido ao grande tráfego enviado.  Como nenhuma largura de banda está disponível, o sistema é derrubado.

Ataques de protocolo ou à camada da rede

Os ataques à camada da rede dependem de protocolos para incapacitar os recursos de back-end de sites e aplicativos. Eles não consomem a largura de banda, mas impactam na capacidade de processamento dos servidores e dispositivos de rede. O resultado é o mesmo do ataque baseado em volume: lentidão e queda do sistema.

São exemplos de ataques de camada de rede:

Ataque Smurf:

Que é a tentativa de usar pacotes ICMP (Internet Control Message Protocol) e vulnerabilidades de IP para sobrecarregar um servidor.

SYN Flood:

Usa uma grande quantidade de solicitações de handshake TCP com endereços IPs falsos para iniciar uma conexão com o servidor, sem fechar essa conexão, causando a sobrecarga.

Ataques na camada de aplicativo

Considerado o tipo de ataque DDoS mais sofisticado, os ataques de camada de aplicativos aproveitam vulnerabilidades em um aplicativo para serem bem-sucedidos. Esse ataque aumenta o consumo dos recursos de processamento, mas sem causar grande impacto na largura de banda, tornando sua detecção mais complexa. Como visam sobrecarregar os recursos do servidor e da rede, a distinção entre o tráfego legitimo e o mal-intencionado é mais difícil.

Qual o impacto dos ataques DDoS

Todas as empresas com um site ou aplicativo ativos podem ser afetadas por um ataque DDoS. Além disso, esses ataques causam longos tempos de inatividade, resultando em perdas financeiras, clientes insatisfeitos e perda de reputação. Nos Estados Unidos, um ataque DDoS pode causar perdas médias de US$ 40 mil por hora de inatividade, de acordo com estudo da Imperva.

Além disso, um ataque DDoS pode servir de fachada para outras atividades criminosas, aproveitando a queda do sistema para violar os sistemas de segurança da vítima. Pesquisadores alertam que ferramentas mais sofisticadas e poderosas foram desenvolvidas para desestabilizar alvos governamentais durante a Guerra na Ucrânia e agora começam a ser utilizadas por todo o mundo.

Como evitar ataques DDoS

Apesar de todas as empresas correrem riscos, há algumas estratégias que podem auxiliar na identificação, prevenção e redução de danos que um ataque DDoS pode causar.

Monitore o tráfego de rede

Identificar atividades anormais no tráfego de rede, incluindo tráfego inesperado, originado de locais suspeitos, servidores lentos e o aumento no número de SPAMs recebidos, podem indicar que uma empresa está para ser atacada.

Implemente uma estratégia de resposta a incidentes

Implementar uma rotina de testes de simulação de ataques DDoS, e criar procedimentos para que a equipe de segurança cibernética possa identificar e agir rapidamente no caso de um suposto ataque, contribui para reduzir o impacto nos negócios.

Filtre o tráfego

Por meio de estratégias como roteamento blackhole, limitação de taxa ou com a implementação de um firewall de aplicativo web é possível filtrar o tráfego legítimo e separá-lo de um possível ataque DDoS, bloqueando o tráfego mal-intencionado.

Identifique possíveis vulnerabilidades

Existem no mercado diversas ferramentas para identificação de vulnerabilidades. Elas são essenciais para evitar ataques DDoS na camada de aplicativos e reduzir riscos de hackers utilizarem essas vulnerabilidades para outros golpes.

Use balanceadores de carga

Balanceadores de carga são ferramentas para direcionar o tráfego para outro servidor em caso de ataque DDoS, aumentando a resiliência da rede.

Adote a nuvem

A maioria dos serviços em nuvem contam com ferramentas avançadas contra ataques DDoS e implementam estratégias robustas de detecção e resposta para evitar ataques.

Como a Evolutia pode ajudar a reduzir riscos de ataques cibernéticos?

A Evolutia foi fundada em 2015 e tem como foco preparar os clientes para enfrentar desafios cada vez mais complexos no cenário cibernético atual e oferecer às organizações os recursos necessários para reduzir riscos e proteger seus dados contra perdas indesejadas.

Se as soluções tradicionais de segurança cibernética já são insuficientes, a Evolutia traz ao mercado brasileiro soluções alinhadas ao cenário atual, preparadas para situações de segurança cibernética mais complexas e potencialmente mais perigosas. Entre em contato e conheça nossas soluções.

A transformação começa agora.

Política de Privacidade

Onde estamos

Rua Pais Leme, 215, sala 418, Pinheiros – São Paulo
CEP: 05424-150

© Evolutia – Todos os direitos reservados.

Desenvolvido pela Intelligenzia