Blog

Como descobrir e proteger APIs em qualquer lugar

Descobrir e proteger APIs em qualquer lugar se tornou um desafio para equipes de Segurança e DevOps. E isso aconteceu porque a maioria das organizações, os últimos anos foram um período de mudanças dramáticas, pois a pandemia as forçou a evoluir rapidamente suas operações para manter a relevância.  Durante esse período intenso, muitos tiveram que atualizar rapidamente aplicativos antigos ou criar novos aplicativos e infraestrutura em nuvem para atender às necessidades operacionais. Ao fazer isso, eles tiveram que fazer escolhas rápidas em relação ao design do aplicativo, desempenho e proximidade com os clientes. Isso forçou as empresas a adicionar mais ‘regiões’ ou ‘zonas’ dentro dos ambientes de nuvem em que já operavam. Surgiram em ambientes de nuvem completamente novos para instanciar operações onde eram necessárias. Algumas organizações criaram infraestrutura híbrida para atender às necessidades de conformidade ou simplesmente ampliar o ROI da infraestrutura privada existente. 

Descobrir e proteger APIs é essencial para a infraestrutura digital

Ao construir sua infraestrutura distribuída, as empresas também construíram uma teia mais complicada de Interfaces de Programação de Aplicativos (APIs). Essas APIs são essenciais para permitir comunicações entre microsserviços e acesso a fontes de dados e verificação de terceiros. Em 2019, a Akamai observou que 83% do tráfego da Internet era comunicação baseada em API.  Na medida em que as empresas desenvolvem mais sua infraestrutura de aplicativos, as APIs assumem uma importância maior para suas operações.

A segurança da API é importante

As APIs são essenciais para a comunicação entre aplicativos e o acesso a fontes de dados e verificação de terceiros, portanto, protegê-las é fundamental para evitar violações de dados. A área de superfície para APIs continuará a se expandir à medida em que novos aplicativos, produtos ou mercados forem adicionados. E à medida que o número de APIs cresce, será difícil e demorado para o pessoal da AppSec catalogá-las e protegê-las. Se as APIs não forem monitoradas ou protegidas, elas serão facilmente exploradas por invasores que precisam apenas emitir scripts simples para extrair informações. 

Para fornecer os resultados operacionais desejados de agilidade, velocidade e proteção operacional, a segurança da API deve atender aos seguintes requisitos:

  • A descoberta deve ser automatizada para se manter atualizada com o cenário de aplicativos/APIs em evolução. Encontre e visualize todas as APIs, independentemente da origem/destino na infraestrutura
  • As APIs também devem ser continuamente analisadas e categorizadas para que os problemas de configuração e segurança sejam imediatamente destacados. 
  • A priorização de problemas é fundamental para reduzir o risco e a exposição e maximizar o tempo e os esforços do pessoal da AppSec
  • As informações sobre APIs (por exemplo, tipo, origem, destino etc.), problemas e etapas a serem tomadas devem ser fáceis de entender e disponíveis para os administradores responsáveis. Os administradores não devem precisar de treinamento para serem produtivos.
  • Integração com ferramentas ITSM, SIEM e SOAR para alinhar facilmente com operações de TI/Segurança e requisitos de relatórios.
  • Impulsione a correção de erros de configuração da API ou problemas de segurança por meio da integração com a infraestrutura de TI (por exemplo, firewalls, firewalls de aplicativos da Web, gateways de API etc.).
  • Aderência aos requisitos regulatórios ou do setor para proteção de dados com processamento específico de dados confidenciais geograficamente.
  • Aumente e expanda alinhado à infraestrutura distribuída em nuvem/local em evolução sem latência para descoberta, análise ou correção de APIs.

Apresentando o mecanismo remoto de segurança Noname

O Noname Remote Engine é uma extensão da plataforma Noname API Security projetada para permitir que uma variedade de APIs na nuvem e na infraestrutura local sejam rapidamente descobertas, analisadas e visualizadas individualmente. O Remote Engine é instanciado em nuvem remota e/ou ambientes locais onde os aplicativos foram configurados e realiza descoberta e análise local de APIs. O Remote Engine pode ser facilmente instalado em uma infinidade de ambientes de nuvem (ou seja, AWS, Azure e Google) e locais ou uma combinação deles para fornecer visibilidade completa e controle de segurança sobre APIs.  

descobrir e proteger APIs

Cada instanciação do Remote Engine utiliza recursos locais para automatizar a captura de tráfego de rede para permitir a descoberta e análise de APIs. O Remote Engine apenas comunica os metadados sobre as APIs de volta ao aplicativo de gerenciamento Noname primário para revisão, catalogação e correção. Nenhum dado contido nas APIs (por exemplo, PII) protegido pela Noname sai do perímetro da nuvem ou do ambiente local. Isso permite que as organizações cumpram os requisitos de conformidade, como PCI-DSS, PII e outros. 

O console de gerenciamento centralizado do Noname fornece uma visão consolidada das APIs e impulsiona a correção de configurações incorretas de API e problemas de segurança. Ele impulsiona a correção por meio da integração com recursos de rede e aplicativos (por exemplo, firewalls, firewalls de aplicativos da Web e gateways de API). A correção pode ser manual ou automatizada via integração ITSM, SIEM ou SOAR.

O Remote Engine permite uma estrutura distribuída de aplicativos e APIs com escalabilidade, automação e um ponto de controle simples para todas as APIs do console de gerenciamento Noname Security SaaS.

Descobrir e proteger APIs é crucial para impulsionar a transformação digital e garantir a conformidade. As APIs devem ser contabilizadas e protegidas, mas isso não deve afetar as operações digitais ágeis. O Remote Engine da Noname Security permite que as organizações construam e protejam sua ampla infraestrutura digital conforme necessário, quando necessário.

Saiba mais

A transformação começa agora.